16 crônicas encontradas em "2018"

Travessuras e punições de jovens ginasianos

21/04/2018 às 10:51 hs

Ginásio tem origem grega, gymnasium, um local onde se praticava exercícios. No Brasil passou a ser o período escolar intermediário entre o ensino fundamental e o médio. Equivaleria hoje aos estudos de quinta a oitava séries.

Leia mais

Fragmentos de uma carta enviada ao presidente Lula (e, na sequência, o inteiro teor da carta)

14/04/2018 às 07:11 hs

Me disseram: “você defende tanto o Lula, por que não vai lá com ele? ”. Ressalvada a sua estatura como homem público, creio que durante toda a minha vida estive com você, seja no trabalho pela subsistência, pelas ideias que comungamos,

Leia mais

O 4 de abril e a consumação do golpe de 2016

07/04/2018 às 05:05 hs

Eram dois brasis, segundo obra de Jacques Lambert, escrita em 1957, o Brasil do desenvolvimento provocado por Juscelino Kubistchek e o outro, o Brasil da desigualdade, provocada por uma elite econômica que, desde a chegada de Cabral, não permitiu que a democracia funcionasse plenamente.

Leia mais

Músicas que contam a história

31/03/2018 às 07:01 hs

Regimes autoritários incentivam a composição e a massificação de músicas ufanistas. A ditadura militar implantada em 1964 não foi diferente. Músicas como “Pra Frente Brasil”, “Este é um país que vai prá frente”, “Eu te amo meu Brasil”, são alguns exemplos dessas músicas. Mas, por outro lado, no período ditatorial foram produzidas músicas de resistência

Leia mais

Águas de superfície: garantia para gerações futuras

24/03/2018 às 15:51 hs

Em 22 de março, por se tratar do Dia Internacional da Água, “O Progresso” destacou que 90% dos córregos de Dourados estão poluídos. Nesse mesmo dia uma chuva mansa contribuiu para amenizar o calor intenso.

Leia mais

Livros

2010: O ANO QUE NÃO ACABOU PARA DOURADOS

A obra ora apresentada é uma coletânea de crônicas publicadas em diversos meios de comunicação no ano de 2010. Falam, sempre com elegância e fluidez, de nossas vidas, de acontecimentos e de possíveis eventos em nosso país, especialmente em nosso município.

Ver

MEDIEVO PORTUGUES: O REI COMO FONTE DE JUSTIÇA NAS CRÔNICAS DE FERNÃO LOPES

Nossa preocupação, nesse trabalho, foi a de estudar o comportamento dos reis, no que concerne à aplicação da Justiça, baseados nas crônicas de Fernão Lopes.

Ver

Crônicas: Educação, Cultura e Sociedade

O livro ora apresentado é um apanhado de 104 crônicas, algumas de 1978 e a maioria escrita a partir de 1995 até a presente data. O tema Educação compõe-se de 56 crônicas, outras 16 são relatos descrevendo fábulas ou estórias oriundas da cultura italiana, e os emas Cultura e Sociedade compreendem, cada um, 16 crônicas.

Ver

Crônicas: globalização, neoliberalismo e política

Esta obra foi editada em 2011 pela Editora da UFGD e reune 99 crônicas escritas principalmente nos últimos quinze anos, versando sobre a globalização, o neoliberalismo e política

Ver

[2009] EDIFICANDO A NOSSA CIDADE EDUCADORA

Esse trabalho tem três objetivos principais, cada qual contemplado em uma das três partes do livro, como se verá adiante. O primeiro é oferecer ao leitor algumas reflexões sobre temas que ocupam o nosso dia-a-dia; o segundo é divulgar os vinte princípios das Cidades Educadoras e, finalmente o terceiro, é tornar público o projeto que nos orienta na transformação de Dourados em uma Cidade Educadora e mostrar os primeiros passos para a operacionalização desse projeto.

Ver

[1998] Até aqui o Laquicho vai bem: os causos de Liberato Leite de Farias

Ao refletir sobre a importância do contador de causos/narrador para a preservação da cultura, percebe-se que cada vez menos pessoas sabem como contar/narrar, com a devida competência, as experiências do cotidiano. Por quê? Para Walter Benjamin, as ações motivadoras das experiências humanas são as mais baixas e aterradoras possíveis em tempos de barbárie; as nossas experiências acabam parecendo pequenas ou insignificantes diante da miséria e da fragmentação humana, numa constatação que extrapola os espaços nacionais.

Ver

[1991] O MOVIMENTO REIVINDICATÓRIO DO MAGISTÉRIO PÚBLICO ESTADUAL DE MATO GROSSO DO SUL: 1978 - 1988

Momentos de grandes mobilizações têm teito do professorado de Mato do Sul a vanguarda do movimento sindicalista deste Estado. Este fato motivou a realização deste trabalho, que teve como proposta inicial analisar criticamente o movimento reivindicatóno do magistério de Mato Grosso do Sul, na perspectiva de revelar-lhe, tanto quanto possível, o perlil de luta, ao longo de sua palpitante trajetória em busca de melhorias salariais, estabilidade empregatícia e melhoria da qualidade do ensino.

Ver

Contato

Informações de Contato

biasotto@biasotto.com.br