37 crônicas encontradas em "2018"

Verbalizações políticas que assustam

20/10/2018 às 05:49 hs

Qual seria mais importante para a história da humanidade, as mãos [com o polegar opositor aos outros dedos] ou as palavras? Ambos, mas hoje desejo alertar sobre a força da palavra.

As palavras além de fortes, às vezes são perigosas...

Leia mais

Eleições 2018: haverá um terceiro turno?

29/09/2018 às 08:11 hs

As eleições deste ano apresentam singularidades que podem nos conduzir a surpresas inesperadas. A pergunta que não quer calar: ganhe quem ganhar, o resultado final será respeitado?

Leia mais

A grandeza da Cidade Universitária de Dourados

15/09/2018 às 04:37 hs

Uma visita à Cidade Universitária de Dourados inspirou-me essa crônica. Avalio que Dourados passou por três arrancadas de desenvolvimento: a implantação da Colônia Agrícola Nacional [CAN]; a expansão do cultivo da soja [anos de 1970] e a implantação do polo universitário

Leia mais

Crônica de um homem que não tinha sangue

10/09/2018 às 14:13 hs

Bepi Bipolar, o personagem que ora apresenta-se no polo do senso, ora do nonsense, havia sumido de minhas crônicas. Mas não é que nesses dias ele me aparece sentado no banco da praça de sua cidade, a Cafundó, ao lado de seu inseparável amigo Tino Sonso, contando uma história de arrepiar o cabelo?

Leia mais

A base de Alcântara: espaço de nossa soberania

18/08/2018 às 09:01 hs

Alcântara, no estado do Maranhão, foi escolhida para ser a base do centro aéreo espacial brasileiro. Criada em 1983, no governo do último ditador militar João Figueiredo, somente entrou em operação em 1989, no governo de Sarney.

Leia mais

Livros

2010: O ANO QUE NÃO ACABOU PARA DOURADOS

A obra ora apresentada é uma coletânea de crônicas publicadas em diversos meios de comunicação no ano de 2010. Falam, sempre com elegância e fluidez, de nossas vidas, de acontecimentos e de possíveis eventos em nosso país, especialmente em nosso município.

Ver

MEDIEVO PORTUGUES: O REI COMO FONTE DE JUSTIÇA NAS CRÔNICAS DE FERNÃO LOPES

Nossa preocupação, nesse trabalho, foi a de estudar o comportamento dos reis, no que concerne à aplicação da Justiça, baseados nas crônicas de Fernão Lopes.

Ver

Crônicas: Educação, Cultura e Sociedade

O livro ora apresentado é um apanhado de 104 crônicas, algumas de 1978 e a maioria escrita a partir de 1995 até a presente data. O tema Educação compõe-se de 56 crônicas, outras 16 são relatos descrevendo fábulas ou estórias oriundas da cultura italiana, e os emas Cultura e Sociedade compreendem, cada um, 16 crônicas.

Ver

Crônicas: globalização, neoliberalismo e política

Esta obra foi editada em 2011 pela Editora da UFGD e reune 99 crônicas escritas principalmente nos últimos quinze anos, versando sobre a globalização, o neoliberalismo e política

Ver

[2009] EDIFICANDO A NOSSA CIDADE EDUCADORA

Esse trabalho tem três objetivos principais, cada qual contemplado em uma das três partes do livro, como se verá adiante. O primeiro é oferecer ao leitor algumas reflexões sobre temas que ocupam o nosso dia-a-dia; o segundo é divulgar os vinte princípios das Cidades Educadoras e, finalmente o terceiro, é tornar público o projeto que nos orienta na transformação de Dourados em uma Cidade Educadora e mostrar os primeiros passos para a operacionalização desse projeto.

Ver

[1998] Até aqui o Laquicho vai bem: os causos de Liberato Leite de Farias

Ao refletir sobre a importância do contador de causos/narrador para a preservação da cultura, percebe-se que cada vez menos pessoas sabem como contar/narrar, com a devida competência, as experiências do cotidiano. Por quê? Para Walter Benjamin, as ações motivadoras das experiências humanas são as mais baixas e aterradoras possíveis em tempos de barbárie; as nossas experiências acabam parecendo pequenas ou insignificantes diante da miséria e da fragmentação humana, numa constatação que extrapola os espaços nacionais.

Ver

[1991] O MOVIMENTO REIVINDICATÓRIO DO MAGISTÉRIO PÚBLICO ESTADUAL DE MATO GROSSO DO SUL: 1978 - 1988

Momentos de grandes mobilizações têm teito do professorado de Mato do Sul a vanguarda do movimento sindicalista deste Estado. Este fato motivou a realização deste trabalho, que teve como proposta inicial analisar criticamente o movimento reivindicatóno do magistério de Mato Grosso do Sul, na perspectiva de revelar-lhe, tanto quanto possível, o perlil de luta, ao longo de sua palpitante trajetória em busca de melhorias salariais, estabilidade empregatícia e melhoria da qualidade do ensino.

Ver

Contato

Informações de Contato

biasotto@biasotto.com.br