51 crônicas encontradas em "2005"

De volta à Idade Média

08/12/2005 às 20:41 hs

De volta à Idade é uma crônica que, longe de pretender quaisquer comparações entre os tempos medievais e os atuais, destaca a continuidade de exploração do homem pelo homem ao longo da história. Confira em Crônicas 2005

Leia mais

E agora Dirceu? E agora Brasil?

02/12/2005 às 10:54 hs

E agora Dirceu? Você que é José. Perdeu uma batalha mas a sua luta não acaba pois nasceu pra lutar. E agora José? Perdeu o mandato mas não perdeu a fé. Vaja crônicas 2005 ou

Leia mais

A hipocrisia dos nomeadores de dirigentes de ensino superior

01/12/2005 às 08:32 hs

Seria difícil encontrar uma palavra mais elegante que desfaçatez para designar artigos assinados por membros da direita golpista douradense (há uma direita em Dourados que eu respeito) em relação à nomeação do reitor pró tempore da UFGD. Veja em crônicas ou

Leia mais

Um texto que gostaríamos de te-lo escrito

29/11/2005 às 17:56 hs

Sempre recebo e-mails sobre os mais variados assuntos. Muitos deles chegam em tão boa hora ensejando a agradável coincidência de revigorar nossos anseios. Ontem, por exemplo, uma amiga enviou-me um que veio a calhar como um belo presente de aniversário, embora ela nem soubesse que eu completava mais um ano de vida. Convido o leitor a ler o texto, escrito por Francisco Cândido Xavier. Uma pena eu não poder oferecer-lhes também a música de John Lenon, que acompanha o texto.

Leia mais

Maktube: assim estava escrito, assim devia ser, fulminante.

29/10/2005 às 14:28 hs

Tive vontade de chorar, mas não fui forte o suficiente. Alaércio não choraria diante da morte, ele, não por não ser forte, mas pela sua maneira de encarar as coisas.Veja em crônicas 2005 ou

Leia mais

Livros

2010: O ANO QUE NÃO ACABOU PARA DOURADOS

A obra ora apresentada é uma coletânea de crônicas publicadas em diversos meios de comunicação no ano de 2010. Falam, sempre com elegância e fluidez, de nossas vidas, de acontecimentos e de possíveis eventos em nosso país, especialmente em nosso município.

Ver

MEDIEVO PORTUGUES: O REI COMO FONTE DE JUSTIÇA NAS CRÔNICAS DE FERNÃO LOPES

Nossa preocupação, nesse trabalho, foi a de estudar o comportamento dos reis, no que concerne à aplicação da Justiça, baseados nas crônicas de Fernão Lopes.

Ver

Crônicas: Educação, Cultura e Sociedade

O livro ora apresentado é um apanhado de 104 crônicas, algumas de 1978 e a maioria escrita a partir de 1995 até a presente data. O tema Educação compõe-se de 56 crônicas, outras 16 são relatos descrevendo fábulas ou estórias oriundas da cultura italiana, e os emas Cultura e Sociedade compreendem, cada um, 16 crônicas.

Ver

Crônicas: globalização, neoliberalismo e política

Esta obra foi editada em 2011 pela Editora da UFGD e reune 99 crônicas escritas principalmente nos últimos quinze anos, versando sobre a globalização, o neoliberalismo e política

Ver

[2009] EDIFICANDO A NOSSA CIDADE EDUCADORA

Esse trabalho tem três objetivos principais, cada qual contemplado em uma das três partes do livro, como se verá adiante. O primeiro é oferecer ao leitor algumas reflexões sobre temas que ocupam o nosso dia-a-dia; o segundo é divulgar os vinte princípios das Cidades Educadoras e, finalmente o terceiro, é tornar público o projeto que nos orienta na transformação de Dourados em uma Cidade Educadora e mostrar os primeiros passos para a operacionalização desse projeto.

Ver

[1998] Até aqui o Laquicho vai bem: os causos de Liberato Leite de Farias

Ao refletir sobre a importância do contador de causos/narrador para a preservação da cultura, percebe-se que cada vez menos pessoas sabem como contar/narrar, com a devida competência, as experiências do cotidiano. Por quê? Para Walter Benjamin, as ações motivadoras das experiências humanas são as mais baixas e aterradoras possíveis em tempos de barbárie; as nossas experiências acabam parecendo pequenas ou insignificantes diante da miséria e da fragmentação humana, numa constatação que extrapola os espaços nacionais.

Ver

[1991] O MOVIMENTO REIVINDICATÓRIO DO MAGISTÉRIO PÚBLICO ESTADUAL DE MATO GROSSO DO SUL: 1978 - 1988

Momentos de grandes mobilizações têm teito do professorado de Mato do Sul a vanguarda do movimento sindicalista deste Estado. Este fato motivou a realização deste trabalho, que teve como proposta inicial analisar criticamente o movimento reivindicatóno do magistério de Mato Grosso do Sul, na perspectiva de revelar-lhe, tanto quanto possível, o perlil de luta, ao longo de sua palpitante trajetória em busca de melhorias salariais, estabilidade empregatícia e melhoria da qualidade do ensino.

Ver

Contato

Informações de Contato

biasotto@biasotto.com.br