9 crônicas encontradas em "2008"

I punti luminosi

28/12/2008 às 22:00 hs

Carlos Heitor Cony, na Folha, em crônica intitulada “vergonha na cara”, referindo-se à derrota neste ano da seleção brasileira para a Argentina por três a zero, afirmou que faltou ao nosso time algo que Esra Proud referia-se como “punti luminosi”.

Leia mais

Eleições 2008: a sedução das imagens.

30/11/2008 às 21:01 hs

Essa crônica dedico-a, de modo especial a você, caro amigo, que sentiu falta de meus escritos analíticos sobre as eleições desse ano. Faço ouvido mouco àqueles, não menos amigos, que me aconselharam a sossegar o meu irrequieto espírito. Não foram poucos os que afirmaram não valer a pena tais desideratos.

Leia mais

Eleições 2008: pesquisas de opinião e voto útil

07/11/2008 às 11:31 hs

Longe se vai o tempo em que os partidos políticos lançavam os seus candidatos e ficavam na mais absoluta incerteza sobre a condução da campanha e o resultado das eleições. Atualmente, as pesquisas quantitativas e qualitativas dão aos candidatos uma noção clara dos passos que devem ser dados ao longo do processo eleitoral.

Leia mais

Eleições 2008: “a grande invasão indígena”

03/11/2008 às 20:10 hs

Um dos componentes importantes das eleições 2008 em Dourados foi a discussão em torno da demarcação das terras indígenas no Brasil e, de forma especial em Mato Grosso do Sul. A FUNAI baixou portarias para iniciar as demarcações de forma intempestiva...

Leia mais

Eleições 2008: o financiamento das campanhas

31/10/2008 às 15:30 hs

Continuando a nossa avaliação sobre o resultado das eleições 2008 em Dourados, vamos falar hoje a respeito de mais uma das causas do nosso insucesso atacando problema deveras sério, complexo e mal resolvido até hoje, que é o financiamento das campanhas.

Leia mais

Livros

2010: O ANO QUE NÃO ACABOU PARA DOURADOS

A obra ora apresentada é uma coletânea de crônicas publicadas em diversos meios de comunicação no ano de 2010. Falam, sempre com elegância e fluidez, de nossas vidas, de acontecimentos e de possíveis eventos em nosso país, especialmente em nosso município.

Ver

MEDIEVO PORTUGUES: O REI COMO FONTE DE JUSTIÇA NAS CRÔNICAS DE FERNÃO LOPES

Nossa preocupação, nesse trabalho, foi a de estudar o comportamento dos reis, no que concerne à aplicação da Justiça, baseados nas crônicas de Fernão Lopes.

Ver

Crônicas: Educação, Cultura e Sociedade

O livro ora apresentado é um apanhado de 104 crônicas, algumas de 1978 e a maioria escrita a partir de 1995 até a presente data. O tema Educação compõe-se de 56 crônicas, outras 16 são relatos descrevendo fábulas ou estórias oriundas da cultura italiana, e os emas Cultura e Sociedade compreendem, cada um, 16 crônicas.

Ver

Crônicas: globalização, neoliberalismo e política

Esta obra foi editada em 2011 pela Editora da UFGD e reune 99 crônicas escritas principalmente nos últimos quinze anos, versando sobre a globalização, o neoliberalismo e política

Ver

[2009] EDIFICANDO A NOSSA CIDADE EDUCADORA

Esse trabalho tem três objetivos principais, cada qual contemplado em uma das três partes do livro, como se verá adiante. O primeiro é oferecer ao leitor algumas reflexões sobre temas que ocupam o nosso dia-a-dia; o segundo é divulgar os vinte princípios das Cidades Educadoras e, finalmente o terceiro, é tornar público o projeto que nos orienta na transformação de Dourados em uma Cidade Educadora e mostrar os primeiros passos para a operacionalização desse projeto.

Ver

[1998] Até aqui o Laquicho vai bem: os causos de Liberato Leite de Farias

Ao refletir sobre a importância do contador de causos/narrador para a preservação da cultura, percebe-se que cada vez menos pessoas sabem como contar/narrar, com a devida competência, as experiências do cotidiano. Por quê? Para Walter Benjamin, as ações motivadoras das experiências humanas são as mais baixas e aterradoras possíveis em tempos de barbárie; as nossas experiências acabam parecendo pequenas ou insignificantes diante da miséria e da fragmentação humana, numa constatação que extrapola os espaços nacionais.

Ver

[1991] O MOVIMENTO REIVINDICATÓRIO DO MAGISTÉRIO PÚBLICO ESTADUAL DE MATO GROSSO DO SUL: 1978 - 1988

Momentos de grandes mobilizações têm teito do professorado de Mato do Sul a vanguarda do movimento sindicalista deste Estado. Este fato motivou a realização deste trabalho, que teve como proposta inicial analisar criticamente o movimento reivindicatóno do magistério de Mato Grosso do Sul, na perspectiva de revelar-lhe, tanto quanto possível, o perlil de luta, ao longo de sua palpitante trajetória em busca de melhorias salariais, estabilidade empregatícia e melhoria da qualidade do ensino.

Ver

Contato

Informações de Contato

biasotto@biasotto.com.br